Arlindo Cruz define música de mascote da Copa: fácil para gringo cantar

Categories: Principais

Por Juliana Ranciaro.

2536019-4211-recCompositor e cantor de samba e pagode, Arlindo Cruz – que já integrou o famoso grupo Fundo de Quintal – garante que o ramo dele é mesmo o da música, quase sempre tocada em rodas regadas a muita cerveja. Futebol, só nas peladas do bairro onde nasceu, Piedade, ou naquele onde se formou como sambista, Madureira, ambos no Rio de Janeiro. Apesar disso, ele acaba de unir as duas coisas ao lançar Tatu Bom de Bola, a canção oficial do mascote da Copa do Mundo de 2014, em parceria com Rogê e Arlindo Neto.

Misturando samba, xote e embolada, a música remete ao clima das torcidas e convida a todos para a grande festa do futebol. A letra é cantada por Arlindo em português, mas tem um refrão bem conhecido por qualquer pessoa ao redor do mundo: “ôôô”.

“É proposital. Justamente para facilitar a interação com outras torcidas, não só a brasileira”, disse ele em entrevista exclusiva ao Terra. A intenção é que até gringos tenham facilidade de cantar a música.

Veja na íntegra a entrevista exclusiva de Arlindo Cruz:

Terra – Como foi o processo até chegarem ao seu nome como compositor da música do mascote da Copa?
Arlindo Cruz – Recebi o convite diretamente da minha gravadora, a Sony. Não sei o que aconteceu antes disso, mas acredito que eles queriam dar à canção um clima bem brasileiro, por isso pensaram em algo com samba.

Terra – Como surgiu a inspiração para compor a música?
Arlindo – Entrei no site da Fifa e vi a história que tinha sido criada para o mascote, todo o contexto que falava exatamente da síntese do tatu-bola, como um animal que para se camuflar se transforma em bola. E essa é a síntese também do povo brasileiro, que vê na bola e no futebol uma fuga, um jeito de ser feliz apesar de qualquer dificuldade. É um lado faceiro do povo brasileiro, que vê na alegria de fazer gol, a alegria de uma vida. Além dessa inspiração, também pensei em fazer uma música fácil para todo mundo cantar, de crianças a gringos.

Terra – O nome do mascote ainda não foi escolhido e a votação segue até novembro. Quando tiver o nome, terá que ser encaixado na letra da canção?
Arlindo – Não sei. A música foi um presente nosso para a Copa, se quiserem colocar o nome do mascote, a gente coloca sem problemas. Eu não me importo em ter que mudar porque realmente foi um presente nosso para este evento.

Terra – Qual dos nomes você prefere? (Amijubi, uma junção entre as palavras “amizade” e “júbilo”; Fuleco, que reúne “futebol” e “ecologia”; e Zuzeco, mistura entre “azul” e “ecologia”).
Arlindo – É muito complicado falar isso porque eu fiz parte da pré-seleção do nome. A intenção é que o povo entenda os significados e vote consciente. Tenho certeza de que vão pensar em tudo, inclusive na sonoridade. É uma votação popular e acredito que tem tudo a ver com o porte e com o significado deste evento. O mascote tem que representar o povo brasileiro.

Terra – Você não tem medo de dar uma cara muito carioca para a Copa colocando elementos tão típicos do Rio de Janeiro na música? Sobretudo com o fator de que muitos jogos do evento serão realizados lá?
Arlindo – Acho que samba, sol, calor, futebol e alegria são características bem brasileiras, sem regionalismos. Se uma música e um evento juntos têm tudo isso, não tem como ser apenas carioca, é cultura brasileira.

Veja a letra da música do mascote da Copa 2014:

Tatu bom de bola

Sai da toca vem tatu toca na bola
Futebol é uma escola
Mundo inteiro quer jogar
Brasileiro de primeiro de janeiro
Um moleque tão ligeiro,
Tão difícil de marcar
Ele brinca na pelada, no bobinho
Show de bola lá no baba
Arrebenta no rachão

Balança pra lá, balança pra cá
Explode nosso coração
Balança pra lá, balança pra cá
Em cada comemoração

Só faz gol de placa
É a sensação
Tatu bom de bola
Ele é campeão

Deixe uma resposta